FDE - Várzea Paulista

 Voltar à lista de projetos
Ano
2008
Custo
Undisclosed
Pisos
1-5 Stories

Fruto de um programa recente da FDE, Fundação para Desenvolvimento do Ensino, as escolas estaduais de primeiro e segundo grau construídas pelo Governo do Estado de São Paulo apresentam em comum a escolha do sistema construtivo, dos componentes industrializados, o programa de salas e áreas de convivência, a articulação entre os espaços e a intenção de criar para os ocupantes das escolas, um lugar confortável e com arquitetura de qualidade para a prática do ensino.

A intenção, desde o princípio, foi a de criar uma grande integração entre os espaços públicos e os semi-públicos, entre o espaço interno e o externo. Desta forma, o acidentado terreno foi tratado de forma a proporcionar uma grande praça de acesso à escola que, quando tem seus portões abertos, se transforma em um agradável espaço de convivência para a comunidade. Este espaço é complementado por todo o térreo da edificação, que possui quadra poliesportiva, galpão coberto para atividades diversas e pátio de recreação na porção posterior do terreno. Durante os finais de semana, todos estes espaços articulados servem como área de lazer para a população do local que tanto carece deste tipo de espaço.

A estrutura da escola é toda composta de elementos pré-moldados de concreto. Este sistema, escolhido em função da garantia da qualidade de execução, da rapidez da montagem e do custo acessível, dá o caráter da escola. A estrutura é modular e corresponde às dimensões dos ambientes principais internos.

O edifício possui um bloco com três pavimentos e outro só com o piso térreo, onde se localiza a quadra poliesportiva com grande pé-direito. O térreo do prédio concentra funções administrativas, refeitório cozinha e banheiros. Os demais pavimentos são ocupados pelas salas de aula, salas-ambiente, informática e depósitos, além de salas de professores e diretores. O galpão coberto, no térreo, tem pé-direito duplo e é totalmente aberto para a área de lazer externa.

A estrutura de concreto do edifício extrapola os limites do prédio, sustentando também os elementos de sombreamento. Na parte frontal, elementos vazados de concreto com aberturas irregulares são agrupados de modo a formar um grande mosaico que filtra a luz. Este mosaico de concreto garante interessantes visuais, tanto pelo lado interior, que parece emoldurar a paisagem, quanto do lado de fora, quando se assemelha a um gigantesco painel. Durante a noite, quando as salas de aulas estão acesas, o mosaico perde sua força e a escola ganha um caráter mais leve e diáfano.

Na porção posterior, no trecho com pé direito duplo do galpão, o sombreamento é feito por telhas perfuradas de alumínio. O galpão, elemento organizador de toda a escola, é um local de múltiplo uso, que é usado por alunos para diversas atividades, mas também pela comunidade nos finais de semana e eventos especiais. Ele fica totalmente aberto para o espaço exterior e o elemento de sombreamento é aplicado mais ao alto. As telhas perfuradas permitem que durante o dia a luz entre de tal forma que as telhas fiquem praticamente transparente para quem está dentro do galpão, aumentando a sensação de que não há um limite claro entre o exterior e interior do prédio. Durante a noite, com a iluminação interna, essa sensação se inverte, e o observador que está no jardim externo tem a sensação de que a escola está toda aberta para a comunidade.

Outros projetos por FGMF Architects

Casa Natura
Santo André
Casa Grelha
São José dos Campos
Casa Rex
São Paulo
Edifício Corujas
São Paulo
Edifício Projeto Viver
São Paulo
Botucatu House
Botucatu